0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline Ricardo

  • *
  • Moderador Global
  • Aprendiz de Mestre
  • *****
  • Mensagens: 712
  • Sexo: Masculino
Goétia
« em: Janeiro 24, 2017, 09:33:25 »
Fica aqui um dos temas que tenho acompanhado à alguns anos e que me deixa fascinado, ao qual já tentei fazer uso dela..... :D


Cá vai :

A Goétia é um conjunto de técnicas e procedimentos cerimoniais que visam evocar demónios para que eles obedeçam ao magista.

Por meio dessas técnicas o magista utiliza-se do demónio sem que este exerça influência sobre o mesmo. Para isso, são utilizados uma série de selos e chaves de protecção, todas explicadas, ensinadas e detalhadas na Goétia.

Uma vez que esses seres, ou melhor, alguns desses seres, aparecem nos mais diversos segmentos relacionados ao Ocultismo, é importante que se tenha ao menos um estudo e conhecimento básico sobre o assunto.

Ninguém sabe ao certo qual a origem da Goétia, alguns dizem que ele foi entregue pelos Anjos para o rei bíblico Salomão. Mas fontes mais coerentes dizem que tal grimório foi escrito na Idade Média, por um magista que desenvolveu o sistema e registou alguns de seus contactos com entidades capazes de atendê-lo. Para popularizar o sistema sem ter problemas com a Inquisição Católica, o autor original teria nomeado o grimório de Chave de Salomão, esquivando-se da fama de demonólatra e popularizando o livro com o nome de um personagem histórico (prática comum na Idade Média).

Na Goétia são utilizadas duas técnicas bastante comuns no Ocultismo: a evocação e a invocação. Sim, há uma diferença entre INvocação e Evocação:

Invocação - quando alguém "invoca", ele chama, ou intima, uma forma de energia universal para dentro de si mesmo ou para dentro do círculo dentro do qual ele está operando.

Evocação - quando alguém "evoca", chama algo a comparecer à sua frente, muitas vezes forçadamente.

Continuando, a Goétia é uma prática mágica que se dedica exclusivamente a evocação de 72 demônios(olha só que coincidência, 66 + 6 = 72).

A principal característica da Goétia, é que os praticantes desse segmento consideram os seres ali registados não como demónios, mas sim como deuses e que seriam até benéficos.

Alguns até acham que os espirítos da Goétia eram divindades de tempos passados, e outros dizem que esses espíritos já foram pessoas como nós, que andaram pela Terra.

Os praticantes da Goétia consideram olhar esses seres como demónios uma forma de preconceito.

Apesar disso, muitos ainda consideram esses seres demónios e apenas entram em contanto por considerá-los entidades malignas, com o intuito de mandar maldições e coisas do tipo.

Uma coisa interessante é que cada um dos seres da Goétia comanda e tem influência sobre algo específico. Furcas, por exemplo, "(...)ensina as artes da filosofia, astrologia, retórica, lógica, priomancia, em todas suas partes e perfeitamente."

Para o praticante da Goétia, esses seres deveriam ser evocados para o aprendizado dessas artes.

Assim, o magista escolhe um desses seres específicos para contacto directo por afinidades que tem com ele.

Cada um desses seres Goéticos possui uma forma diferente, e cada um deles possui um "selo", uma marca que o identifica e que é utilizada para chamá-lo.

O conceito dos selos é algo interessante, uma vez que é um símbolo que identifica um espírito.

Os rituais Goéticos sao muito complexos, e utilizam-se de uma série de instrumentos mágicos, selos e chaves...