0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline Mestre_Cruz

  • *
  • Administrador
  • Mestre
  • *****
  • Mensagens: 1288
  • Sexo: Masculino
    • Mestre Cruz
Para que servem os santos e divindades?
« em: Agosto 18, 2016, 11:19:11 »
O medo da morte e do que está para além dela cria-nos uma dependência do divino. Restringe-nos a liberdade de escolha que deveria ser o bem mais precioso que é nosso por direito logo à nascença.

     Desde crianças que somos confrontados com a existência de deuses e demónios, de anjos e santos a quem devemos recorrer para que as nossas necessidades e frustrações sejam atenuadas, castrando no nosso subconsciente a força de lutar-mos por nós mesmos pelos nossos ideais.

     Pedimos a deus e aos anjos que nos auxiliem a arranjar um emprego e quando muito arranjámos um em que somos explorados por um patrão sem escrúpulos que somente vê nos seus semelhantes máquinas descartáveis de criar riqueza. E nós agradecemos com orações a miséria que por amor nos auxiliaram a encontrar.

     Pedimos ao anjo da guarda protecção no inicio do dia e somos assaltados na paragem do autocarro. Somos vitimas da alcovitice dos colegas de trabalho que tudo fazem para denegrir a nossa imagem. Só descobrimos a doença quando os danos físicos já são grandes e muitas vezes já sem hipóteses de cura. Ao fim do dia agradecemos-lhe a protecção, embora ele, se existe, nos tenha deixado ao abandono pois não nos deus a mínima intuição que nos permitisse evitar as desgraças que se avizinhavam. Ensinaram-nos que é o karma por isso está justificada a existência de um guia: - conduzir-nos por forma a obrigar-nos a passar por todas as tragédias que acontecem na nossa vida.

     As pessoas casam na igreja da sua religião e perante deus juram fidelidade e amor eternos. Metade dos casamentos descambam em maus tratos físicos e psicológicos em que o amor se transforma em domínio. A vitima refugia-se na prece procurando solução para o seu fadário e a solução que  invariavelmente recebe é mais porrada até que a morte ou o homicídio os separe. A isto assistem guias, anjos e santos, a menos que não ouçam as preces implorando auxilio que lhes são dirigidas.

     Pedimos a deus que auxilie as crianças que sofrem de fome e maus tratos às mãos daqueles que os deveriam fazer saudáveis e felizes e elas são maltratadas, violadas, comercializadas, mortas à fome e nas guerras, são assim roubadas da infância que as faria no futuro adultos felizes e responsáveis. Deus provido do seu coração de pedra faz de conta que não nos ouve pois os homens devem adorá-lo e não incomodá-lo com essa futilidade que é o sofrimento das crianças.

     Para que serve afinal deus e tantos anjos e santos? Será que o papel deles é serem testemunhas do nosso sofrimento e miséria física e moral pelos quais eles são os principais responsáveis?

     Qual o espírito realmente superior ou moralmente evoluído que conseguiria assistir, sem nada fazer, para minorar o sofrimento de milhões de crianças que vagueiam infelizes por este mundo que dizem criado por esse deus empedernido? O karma continua a ser a resposta para tudo pois à mentiras que são muito convenientes e servem de resposta ao que não tem resposta satisfatória da parte deles.
 
     Onde está o amor ao próximo que tanto nos impingem como moeda de troca para um futuro num paraíso celestial qualquer? 

     Segundo as leis que eles nos ensinaram e se realmente eles possuem os poderes que se outorgam e não os usam para auxiliar os que inocentemente sofrem, deverão ser eles os primeiros a usufruírem dos prazeres do inferno e com deus à cabeça para dar o exemplo.

     Neste mundo só é feliz quem despreza os seus semelhantes e de alguma forma os usa para deles obter beneficio, especialmente quando o conseguem à custa de provocarem danos morais e económicos naqueles que por necessidade, com o seu esforço os ajudam a subir na hierarquia criada pelos homens imitando as hierarquias divinas. Parece que só esses são bafejados pela intuição e pelo auxilio de forças divinas.

     Quem lê o que eu escrevo normalmente está tão divinizado que não perde tempo procurando de razão nas minhas palavras. Procura isso sim uma forma de libertar a sua consciência buscando nos livros palavras bonitas que contradigam o que eu escrevo não venha deus com um castigo só porque me lêem e ousam pensar no que eu digo.

     É isto que o cabeçalho do fórum me convida a escrever, pois é isto "que me vai na alma".


Especialista em Trabalhos de Ocultismo
Tel/Whatsapp : (+351) 938325882

Offline Carla

  • *
  • Iniciante
  • *
  • Mensagens: 16
  • Sexo: Feminino
Re: Para que servem os santos e divindades?
« Responder #1 em: Setembro 12, 2016, 06:06:12 »
Qual é a alternativa?
As pessoas são consciência e numas está mais desenvolvida do que noutras...Talvez não sejam as divindades a ter de interferir directamente nas situações mas sim as pessoas, porque afinal o simples facto de haver alguém que faça a diferença já é positivo...talvez so consigam manifestar-se e intervir através das pessoas... Os humanistas colocam a pessoa como o agente causal das suas acçóes, o clero diz que tudo o que fazemos "foi Deus"; eu acho que tem de haver um equilíbrio; as rezas, as orações são um uma espécie de guia de consciência. 
Nos séculos passados as pessoas não tinham medo de morrer tinham medo de não preparar bem a morte por isso encomendavam missas e ofícios, que a serem cumpridos, ainda hoje teriam de ser feitos.
Porque é que só algumas pessoas têm um "dom" que tanto pode ser usado para o bem como para o mal ou com duplos interesses?
seja como for nao serei a pessoa mais indicada para falar do assunto...